quarta-feira, Julho 23, 2014

305 SEGUIDORES

O nosso blog conta com 305 seguidores!!!

Um forte abraço para todos que nos seguem!!

Flávio Eduardo Nácul

PROVAS DE FUNÇÃO HEPÁTICA

As provas de função hepática são bilirrubina, tempo de protombina e albumina.

TGO e TGP não são consideradas testes de função e sim de inflamação do fígado

Flávio E. Nácul

sábado, Julho 19, 2014

O QUE É ANDRAGOGIA?

Andragogia é a arte ou ciência que se refere a educação de adultos,  em contraposição à pedagogia, que se refere à educação de crianças.

Flávio E. Nácul

sexta-feira, Julho 11, 2014

SOFA SCORE

O SOFA score avalia diariamente a gravidade dos pacientes críticos através de 6 parâmetros:

1) Escala de coma de Glasgow

2) Necessidade de vasopressores

3) Troca gasosa pulmonar

4) Função hepática (dosagem de bilirrubina)

5) Contagem de plaquetas

6) Função renal

O valor máximo é 24 pontos (quanto mais grave o paciente, maior o número de pontos)

Um valor acima de 15 pontos confere uma mortalidade superior a 90%


Flávio E. Nácul

terça-feira, Julho 08, 2014

QUEM FOI BENTALL?

Há quase 40 anos, Hugh Bentall  descreveu uma técnica para o tratamento combinado das doenças da valva aórtica e do segmento da aorta ascendente, utilizando um tubo valvulado no qual eram reimplantados os óstios das artérias coronárias.

Hugh Bentall estudou medicina em Londres e trabalhou nos North Middlesex Hospital  London, Chest Hospital e  Hammersmith Hospital, todos em Londres. Em 1959  foi convidado para realizar 5 cirurgias em Moscou. Em 1966  criou a cirurgia de Bentall para tratar um paciente com a Síndrome de Marfan.  Bentall se aposentou em 1985 e morreu em 2012.

Flávio E. Nácul

segunda-feira, Julho 07, 2014

quarta-feira, Junho 25, 2014

QUAL A RELAÇÃO SUGERIDA ENTRE VENTILAÇÃO E MASSAGEM CARDÍACA NA PCR?

Pacientes ventilados com máscara: Relação massagem/ventilação de 30:2

Pacientes intubados:  Realizar massagem cardíaca  (100-120 por minuto) e ventilação (8-10 por minuto) independentes.

Flávio E. Nácul

QUAL A PORCENTAGEM DE PARADAS CARDÍACAS OCORRIDAS EM PACIENTES INTERNADOS QUE PODEM SER TRATADAS COM CHOQUE?

Nas paradas cardíacas ocorridas em pacientes internados, apenas 30% apresentam ritmos que podem ser tratados com choque (fibrilação ventricular, taquicardia ventricular).

Flávio E. Nácul

segunda-feira, Junho 23, 2014

SINAL DE HOMANS NA SUSPEITA DE TROMBOSE VENOSA PROFUNDA

O sinal de Homans é um sinal semiológico onde ocorre dor na panturrilha após dorsiflexão passiva do . É causado por uma trombose das veias profundas da perna (trombose venosa profunda). Recebe este nome em homenagem ao médico americano John Homans. Tem baixa sensibilidade e especificidade.

Flávio E. Nácul

sexta-feira, Junho 13, 2014

Delirium: vários diagnósticos e diferentes prognósticos em uma mesma síndrome...

Rapidly reversible, sedation-related delirium versus persistent delirium in the intensive care unit.


Nos últimos anos uma série de estudos vem demonstrando que a presença de delirium é um forte preditor independente de mortalidade em pacientes críticos. Contudo, sendo delirium uma síndrome esta forma de disfunção cerebral aguda pode advir de etiologias distintas com prognóstico e tratamento igualmente diverso. O estudo abaixo, do grupo da Universidade de Chicago, demonstrou claramente que o delirium persistente (ou seja aquele que tem causas orgânicas tais como sepse) tem um prognóstico pior do que aquele associado a sedação (quando esta é rapidamente suspensa).


segue abaixo o resumo:
 2014 Mar 15;189(6):658-65. doi: 10.1164/rccm.201310-1815OC.

Rapidly reversible, sedation-related delirium versus persistent delirium in the intensive care unit.

Abstract

RATIONALE:

Intensive care unit (ICU) delirium is associated with ventilator, ICU, and hospital days; discharge functional status; and mortality. Whether rapidly reversible, sedation-related delirium (delirium that abates shortly after sedative interruption) occurs with the same frequency and portends the same prognosis as persistent delirium (delirium that persists despite a short period of sedative interruption) is unknown.

OBJECTIVES:

To compare rapidly reversible, sedation-related delirium and persistent delirium.

METHODS:

This was a prospective cohort study of 102 adult, intubated medical ICU subjects in a tertiary care teaching hospital. Confusion Assessment Method for the ICU evaluation was performed before and after daily interruption of continuous sedation (DIS). Investigators were blinded to each other's assessments and as to whether evaluations were before or after DIS. The primary outcome was proportion of days with no delirium versus rapidly reversible, sedation-related delirium versus persistent delirium. Secondary outcomes were ventilator, ICU, and hospital days; discharge disposition; and 1-year mortality.

MEASUREMENTS AND MAIN RESULTS:

The median proportion of ICU days with delirium was 0.57 before versus 0.50 after DIS (P < 0.001). The Confusion Assessment Method for the ICU indicated patients are 10.5 times more likely to have delirium before DIS versus after (P < 0.001). Rapidly reversible, sedation-related delirium showed fewer ventilator (P < 0.001), ICU (P = 0.001), and hospital days (P < 0.001) than persistent delirium. Subjects with no delirium and rapidly reversible, sedation-related delirium were more likely to be discharged home (P < 0.001). Patients with persistent delirium had increased 1-year mortality versus those with no delirium and rapidly reversible, sedation-related delirium (P < 0.001).

CONCLUSIONS:

Rapidly reversible, sedation-related delirium does not signify the same poor prognosis as persistent delirium. Degree of sedation should be considered in delirium assessments. Coordinating delirium assessments with daily sedative interruption will improve such assessments' ability to prognosticate ICU delirium outcomes. Clinical trial registered with www.clinicaltrials.gov (NCT 00919698).


Escrito por Jorge Salluh

segunda-feira, Junho 09, 2014

VITAMINAS DO COMPLEXO B

B1 (Tiamina)
B2 (Riboflavina)
B3 (Niacina)
B5 (Ácido Pantotênico)
B6 (Piridoxina)
B7 (Biotina)
B9 (Ácido Fólico)
B12 (Cobalamina)

Flávio E. Nácul